top of page
Buscar

Chiropractic and Crossfit


Devido ao treinamento de alto rendimento e a ampla gama de exercícios que são realizados na prática do Crossfit, o cuidado em prevenir lesões corporais é de fundamental importância. A Quiropraxia, profissão que cuida do sistema neuromusculoesquelético com técnicas próprias, vem ganhando espaço e se inserindo cada vez mais dentro dos boxes.

O Crossfit é uma modalidade esportiva que reúne diversos movimentos funcionais com uma intensidade relativamente alta. Os exercícios são baseados nos melhores aspectos da ginástica, levantamento de peso, corrida, remo e outros, sendo ideais para potencializar o treino em um período curto de tempo, levando ao aprimoramento tanto das habilidades do atleta, como do seu condicionamento físico. Essa ampla variedade de movimentos faz com que a taxa de lesões musculoesqueléticas comuns na prática do Crossfit seja controversa.

Em um estudo com 137 participantes do Crossfit Games, a região lombar foi a que apresentou o maior número de queixas (20.9%), seguida pelo punho (14,4%), tíbia/panturrilha (11,0%) e joelho (10,2%). O mecanismo mais frequente de lesões foi o overtraining (22,4%) seguido pela corrida (19,0%). Lesões agudas representaram 72,20% de todas as lesões e trigger points miofasciais estavam presentes em 21,6% das lesões, seguidas de estiramentos musculares (19,7%). Síndromes facetárias - contato excessivo das regiões posteriores das vértebras lombares – acometeram 13% dos diagnósticos. Ajustes quiropráticos, kinesiotape, compressão isquêmica (Nimmo Receptor Tonus Technique) e massagem são os tratamentos mais utilizados.

A Quiropraxia é a profissão que avalia, previne e trata as desordens do sistema articular, nervoso e muscular através de práticas manuais, chamadas comumente de ajustes quiropráticos. Seu foco é na coluna vertebral, mas os procedimentos corretivos se estendem à maioria das articulações corporais. O objetivo é corrigir restrições articulares e desalinhamentos vertebrais, permitindo que o próprio corpo do atleta se equilibre e tenha melhores condições de funcionamento e um maior rendimento. Em um estudo brasileiro com 82 praticantes de Crossfit, as maiores queixas foram para a coluna lombar, ombro e cervical e as intervenções quiropráticas mostraram diferença estatística no quesito redução de dor e melhoramento no desempenho físico ao comparar o pré e pós-tratamento. Sendo que estudos afirmam que o atendimento quiroprático é benéfico no controle da dor em pacientes com herniação discal, como a melhor opção para dor lombar aguda e na diminuição de dor na perna relacionada à dor nas costas. Além disso, ajustes no quadril e na pelve reduziram as dores nos joelhos de pacientes com síndromes patelofemorais e aumentaram a ativação muscular do grupo quadríceps. Em questões de tornozelo, a quiropraxia mostrou-se eficaz no tratamento de torções recorrentes e melhorou o salto vertical em atletas do sexo feminino.

Como a profissão tem um caráter preventivo e busca melhorar o funcionamento do corpo através das manobras corretivas, diversos boxes no Brasil já percebem seus benefícios e contam com quiropraxistas graduados. No estado do Espírito Santo, a quiropraxista Camila Lisott Bagatini atende no Crossfit Vila Velha – ‘’atendo um atleta que vem toda a semana para ser ajustado, ele passou meus contatos ao box e fui convidada para participar dos eventos internos deles’’. Outros quiropraxistas atendem os atletas em alguns dias da semana, além de diversas formas de parceria que são combinadas entre quiropraxistas e os boxes.

Quando se trata de atletas, o atendimento quiroprático requer o conhecimento detalhado da modalidade praticada, a fim de auxiliar na redução de dores através dos ajustes, de testes específicos, de mobilização de tecidos moles e sugestão de exercícios corretivos ou alongamentos. Espera-se que o artigo possa auxiliar treinadores e atletas a procurarem os cuidados quiropráticos para aprimorarem cada vez mais sua saúde corporal.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

What 1 is Crossfit? Disponível em: https://crossfit.com/what-is- crossfit. Acesso em 24 de jul 2016.

OLIVEIRA 2 , D S et al., O efeito do tratamento quiroprático em praticantes de CrossFit. Revista Brasileira de Quiropraxia. v. 6, n. 2, p.120-129, 2015.

DA SILVA 3 , Chantel. A profile of injuries among participants at the 2013 CrossFit Games in Durban. 2013. 119p. Tese de Doutorado. Durban University of Technology.

GLASSMAN G. Metabolic Conditioning. Crossfit Journal. 2003 v.1 n.2.

COX 4 , J M. Síndrome da Faceta. In: ______. Dor Lombar: Mecanismo Diagnóstico e Tratamento. São Paulo: Manole, 2002. Cap.13, p. 591.

SIEDLIK 5 et al., Advanced Treatment Monitoring for Olympic-Level Athletes Using Unsupervised Modeling Techniques. Journal of Athletic Training. N. 51, v.1, p.74-81.

DIRETRIZES 6 da OMS sobre a formação básica e a segurança em Quiropraxia / Organização Mundial de Saúde – Novo Hamburgo: Feevale, 2006.

LEEMAN 7 , S et al., Outcomes of acute and chronic patients with magnetic resonance imaging-confirmed symptomatic lumbar disc herniation receiving high-velocity, low-amplitude, spinal manipulative therapy: a prospective observational cohort study with one year follow-up. Journal of Manipulative and Physiological Therapists, v. 37, n. 3, p.155-163, 2014.

SCHNEIDER 8 , M et al., Comparison of Spinal Manipulation Methods and Usual Medical Care for Acute and Subacute Low Back Pain: A Randomized Clinical Trial. Spine. v. 40, n. 4, p. 209-217, 2015.

BRONFORT 9 , G et al., Spinal Manipulation and Home Exercise With Advice for Subacute and Chronic Back-Related Leg Pain: A Trial With Adaptive Allocation. Annals of Internal Medicine. n. 06, v. 161, p. 381-391, 2014

IVERSON 10 , C A et al., Lumbopelvic Manipulation for the Treatment of Patients With Patellofemoral Pain Syndrome: Development of a Clinical Prediction Rule. Journal of Orthopaedic & Sports Physical Therapy. v. 38, n. 6, p.297-231, 2008.

SUTER 11 , E et al., Decrease in Quadriceps Inihibition After Sacroiliac Joint Manipulation in Patients with Anterior Knee Pain. Journal of Manipulative and Physiological Therapists. v. 22, n. 3, p. 149-153, 1999.

LUBBE 12 , D. et al., Manipulative Therapy and Rehabilitation for Recurrente Ankle Sprain wiht Functional Instability: a Short-Term, Assessor-Blind, Parallel-Group Randomized Trial. Journal of Manipulative and Physiological Therapeutics. v. 38, n. 1, p. 22-34, 2015.

HEDLUND 13 , S et al. Effect of chiropractic manipulation on vertical jump height in young female athletes with talocrural joint dysfunction: a single-blind randomized clinical pilot trial. Journal of Manipulative and Physiological Therapeutics. v. 37, n. 2, p. 116-123, 2014.

Comments


bottom of page